qua
10
out
2018

pobreza-Arquivo Agência Brasil

O percentual de famílias paraibanas que vivem em extrema pobreza caiu nos últimos quatro anos (2014 a 2017), segundo estudo realizado pela Tendências Consultoria. O levantamento aponta que somente a Paraíba e o Tocantins não registraram evolução da miséria no período, enquanto a média nacional aumentou para 4,8% da população em 2017, contra 3,2% em 2014.

Segundo o estudo da Tendências Consultoria, na Paraíba o percentual de famílias que vivem em extrema pobreza caiu de 6,4% em 2014 para 5,7% em 2017, indo na contramão do Nordeste, que registrou uma piora da situação no período em relação às demais regiões. Os Estados da Bahia, Sergipe, Piauí foram os que tiveram maior crescimento da pobreza extrema, enquanto o Maranhão foi o que obteve o pior resultado do país, chegando a 12% em 2017.

São consideradas em situação de extrema pobreza as famílias com renda domiciliar per capita abaixo de R$ 85 no ano passado. Esse foi o critério da consultoria, baseado no Plano Brasil Sem Miséria, definido por decreto em 2016 – referência do Bolsa Família. Para chegar aos percentuais, a Tendências usou estatísticas sobre a renda de todas as fontes (salários, aluguéis, aposentadorias) de pesquisas domiciliares do IBGE, a Pnad e a Pnad Contínua. Por terem amostragem e metodologias diferentes, as pesquisas precisaram ser harmonizadas. Desta forma, a consultoria não obteve quantitativos de famílias.

Secom-PB


  Compartilhe por aí: Comente

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar quando


Ir para a home do site
© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É PROIBIDA A REPRODUÇAO PARCIAL OU TOTAL DESTE SITE SEM PRÉVIA AUTORIZAÇAO.
Desenvolvido por HotFix.com.br