qui
11
out
2018

Ciro-Arquivo Agência Brasil

Em um dos momentos mais críticos da história do país, Ciro Gomes, candidato à presidência que ficou em terceiro lugar no primeiro turno (com 12,47% dos votos válidos), decidiu viajar à Europa; a campanha de Fernando Haddad manifestou preocupação; segundo os jornalistas Marina Dias e Gustavo Uribe do jornal Folha de S. Paulo, Haddad tinha esperança de convencer Ciro a integrar sua equipe, em defesa dos valores democráticos.

Segundo a reportagem, "a ausência de Ciro na saída do segundo turno, porém, foi entendida como senha pelo petista de que ele não quer participar de um movimento mais amplo contra o capitão reformado do Exército. Nesta quarta (10), o PDT anunciou um ‘apoio crítico’ a Haddad e o presidente da sigla, Carlos Lupi, sinalizou que Ciro não iria subir no palanque do candidato do PT".

A matéria informa que Ciro não quer ter a imagem associada ao PT: "a informação de que Ciro viajaria por pelo menos uma semana para o exterior foi confirmada pela Folha pelo irmão dele, Cid Gomes. A assessoria do agora ex-candidato afirmou que ele iria ‘tirar uns dias para descansar e cuidar da saúde. Aliados, por sua vez, disseram que Ciro não queria ter sua imagem associada à do PT neste segundo turno tão polarizado".

Brasil 247


  Compartilhe por aí:      Comente


Ir para a home do site
© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É PROIBIDA A REPRODUÇAO PARCIAL OU TOTAL DESTE SITE SEM PRÉVIA AUTORIZAÇAO.
Desenvolvido por HotFix.com.br