qui
08
abr
2021

jiarinho-monique

Policiais afirmaram que o vereador do Rio Dr. Jairinho (Solidariedade) agredia o menino com chutes e golpes na cabeça e que Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, sabia das agressões.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu nesta quinta-feira (8) o vereador do Rio Dr. Jairinho (Solidariedade) e Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, que morreu no dia 8 de março. O garoto foi assassinado, de acordo com as investigações. A prisão é temporária, por 30 dias.

Policiais afirmaram que o parlamentar agredia o menino com chutes e golpes na cabeça e que Monique sabia das agressões pelo menos desde fevereiro.

O casal é suspeito de atrapalhar as investigações e de ameaçar testemunhas.

Henry foi encontrado morto na madrugada de 8 de março no apartamento em que Monique, mãe do garoto, vivia com Dr. Jairinho. Os dois alegaram que o menino sofreu um acidente e que estava "desacordado e com os olhos revirados e sem respirar".

No entanto, os laudos da necropsia de Henry e da reconstituição no apartamento do casal afastam essa hipótese.

A polícia diz que, semanas antes de ser morto, Henry foi torturado por Jairinho. Monique sabia.

A Polícia Civil do Rio irá conceder entrevista sobre o caso a partir das 11h na Cidade da Polícia, na zona norte carioca. A coletiva contará com as participações de Antenor Lopes (diretor de polícia da capital), Henrique Damasceno (delegado da 16ª DP, responsável pela investigação), Danilo Marques (diretor do Departamento-Geral de Polícia Técnico-Científica) e do promotor Marcos Kac.

Henry Borel

Brasil 247


  Compartilhe por aí: Comente

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar quando


Ir para a home do site
© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É PROIBIDA A REPRODUÇAO PARCIAL OU TOTAL DESTE SITE SEM PRÉVIA AUTORIZAÇAO.
Desenvolvido por HotFix.com.br