ter
16
out
2018

Kennedy-fake news na campanha presidencial

Muitos se perguntam de onde vem o aumento da rejeição de Fernando Haddad (PT) na transição do primeiro para o segundo turno. A resposta é: das fake news propagadas pela campanha de Jair Bolsonaro (PSL). O jornalista Kennedy Alencar aponta "uma onda de fake news contra Fernando Haddad [que] elevou a rejeição do candidato do PT à Presidência a um patamar superior ao do seu adversário, Jair Bolsonaro (PSL)".

A coluna do jornalista destaca que "segundo a primeira pesquisa de segundo turno do Ibope, realizada no fim de semana e divulgada hoje, 47% dos eleitores rejeitariam Haddad. E 35% disseram que não votariam em Bolsonaro de jeito nenhum".

Kennedy prossegue, relatando a variação da rejeição de Haddad: "no dia 6 de outubro, véspera do primeiro turno, o Ibope mostrou que 43% dos eleitores afirmaram que não votariam em Bolsonaro de jeito nenhum. A taxa de Haddad era de 36% _7 pontos percentuais em benefício do petista. No levantamento divulgado hoje, houve uma inversão de 12 pontos a favor de Bolsonaro. A onda de fake news explica isso".

E explica: "além dos ataques associando o PT à corrupção, Haddad tem sofrido acusações de ordem pessoal que misturam preconceito, desinformação e falsidade sobre sexualidade, aborto, drogas e patrimônio".

O jornalista, finalmente, faz sua tese: "uma das maiores democracias ocidentais, o Brasil enfrenta nestas eleições uma onda de notícias falsas que tende a fazer o escândalo Cambridge Analytica virar fichinha _descoberta de manipulação de empresa inglesa no Facebook para ajudar Donald Trump e outros mandatários a chegar ao poder".

E alerta para a indiferença das autoridades: "a presidente da corte, Rosa Weber, deveria vir a público responder à evidência de uma avalanche de fake news na campanha eleitoral. Weber também deveria comentar a acusação de Bolsonaro em entrevista na quinta ao “Jornal da CBN – 2ª Edição” de que suspeita de fraude na urna eletrônica no voto para presidente. Ela ainda deveria falar a respeito de atos de violência contra eleitores de esquerda, sobretudo de ataques a mulheres".

Kennedy arremata: "no que se refere a fake news, Bolsonaro é o candidato mais beneficiado pelas mentiras enquanto o TSE assiste a tudo de camarote".

Brasil 247


  Compartilhe por aí: Comente

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar quando


Ir para a home do site
© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É PROIBIDA A REPRODUÇAO PARCIAL OU TOTAL DESTE SITE SEM PRÉVIA AUTORIZAÇAO.
Desenvolvido por HotFix.com.br