sáb
09
fev
2019

Crédito Nelson Jr_SCO_STF 

A investigação agressiva, com vazamento para a imprensa, da Receita Federal nas contas de Gilmar Mendes e da mulher dele, Guiomar, aumentou a percepção de cerco ao STF pela onda bolsonarista. A articulação de uma CPI dos tribunais superiores no Senado já intrigava a corte e ministros viram no episódio "tentativa de coação". Eles avaliam que a Receita não poderia investigar um juiz sem a autorização do Supremo – protocolo determinado pela Lei Orgânica da Magistratura. A informação de bastidores é a de que houve forte solidariedade a Mendes.

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que "antes das críticas públicas ao procedimento, Gilmar Mendes fez chegar a integrantes da Receita a avaliação de que grupo criado pelo órgão para analisar as contas de autoridades havia se tornado um ‘braço do Ministério Público e da Polícia Federal’ para perseguir desafetos de ala da Lava Jato."

A matéria ainda informa que "dentro da Receita, o vazamento do relatório das finanças de Mendes, publicado pela revista Veja, foi criticado. Integrantes do órgão fizeram questão de sinalizar ao Supremo que não endossam os termos usados pelo auditor que assina a peça."

Brasil 247


  Compartilhe por aí: Comente

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar quando


Ir para a home do site
© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É PROIBIDA A REPRODUÇAO PARCIAL OU TOTAL DESTE SITE SEM PRÉVIA AUTORIZAÇAO.
Desenvolvido por HotFix.com.br