sáb
16
mar
2019

CNJ abre novo processo disciplinar contra desembargadora que atacou Marielle e Boulos

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu abrir uma nova reclamação disciplinar contra a desembargadora Marília Castro Neves, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), por injúrias ao próprio CNJ e ao líder do MTST (Movimento de Trabalhadores Sem-Teto) Guilherme Boulos.

Vale lembrar que a desembargadora já responde a outra representação disciplinar no CNJ por ofensas feitas à vereadora carioca Marielle Franco (PSOL), assassinada há um ano. Após o crime, a desembargadora escreveu em suas redes sociais que a vereadora estaria "engajada com bandidos", Depois publicou uma carta pedindo desculpas.

"Aproveito o ensejo para também me desculpar à memória da vereadora Marielle Franco por ter reproduzido, sem checar a veracidade, informações que circulavam na internet. No afã de rebater insinuações, também sem provas, na rede social de um colega aposentado, de que os autores seriam policiais militares ou soldados do Exército, perdi a oportunidade de permanecer calada. Nesses tempos de fake news temos que ser cuidadosos", disse na carta.

A nova representação disciplinar é por conta de postagens nas redes sociais em que a desembargadora afirma que o senador Renan Calheiros (MDB-AL) "manda" no CNJ e no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), e que "se o Brasil deseja uma justiça íntegra tem que extinguir os dois conselhos" que ela chama de "petistas".

Marília Castro também publicou uma foto de Boulos com os dizeres: "a tristeza no olhar de quem vai ser recebido na bala, depois do decreto do Bolsonaro".

Brasil 247


  Compartilhe por aí: Comente

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar quando


Ir para a home do site
© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É PROIBIDA A REPRODUÇAO PARCIAL OU TOTAL DESTE SITE SEM PRÉVIA AUTORIZAÇAO.
Desenvolvido por HotFix.com.br