ter
24
set
2019

Brasil deveria falar mais de Agatha do que de Greta

O professor Anderson França, ativista de direitos humanos na favela da Maré, no Rio, escreve sobre e liderança global da menina sueca Greta Thumberg, branca, de classe média, financiada por lobbies corporavitos "verdes" e incensada em toda mídia global, enquanto, no Brasil, matam meninas negras: "Porra, meus amigos. Uma criança branca mata aula e vira mito. Criança negra não pode nem brincar no pátio no recreio que leva tiro".

Anderson França, no Facebook Cês conhecem uma menina chamada Greta? Cês viram como uma menina conseguiu, em menos de um ano, fazer greve na porta da sua escola, e isso virou um movimento de greves globais pelo mundo em favor do meio ambiente?

Tá pronto pra me linchar?
Porque é o que sinto que preciso escrever aqui.
Enquanto eu tiver vida, eu prometo que vou vir estragar seu TEDx.

Observe:

Como é fácil para uma criança branca mobilizar o mundo em torno de ideais tão vagos, pouco práticos, máximas nada pragmáticas como "vamos salvar o planeta", tanto quanto é vago dizer "vamos acabar com a corrupção que está aí".

As pessoas adotam, apaixonadamente, pautas genéricas e vazias, expressões que materializam seu desejo desesperado e pouco refletido por mudanças, as colocam num lugar de protagonismo saindo de uma vida tediosa e drenada por fracassos pessoais de classe média, e elege mitos e messias nacionais e globais, de tempos em tempos.

Greta é fruto do salvacionismo branco.
Ela mesma, materializa e representa a próxima geração de White Saviors.

E não que ela esteja com uma pauta errada.
Ocorre que ela não vai mudar práticas que sustentam o capitalismo global, ela pode amenizar práticas durante um tempo, e: parem com a ilusão que passeata com flor vai mudar a fúria do Leviatã do Capital.

Qual o problema cognitivo de vocês?
Vocês acham mesmo que na hora do pega, China, Rússia e Estados Unidos vai querer saber de menina com cabelo de trança? Onde foi, Senhor Deus dos Arraiais de Israel, que vocês se tornaram tão massacrantemente ingênuos?

Mas meu problema não é a existência de Greta.
Ou Felipe Neto.

O meu problema é que eu tenho um cavalo solto dentro de mim, furioso, todo encachaçado, cheio de demônio, que não me deixa ficar quieto numa hora dessas onde eu poderia mentir e capitalizar apoios e likes pra minha página, dizendo que acho lindo as passeatas.

Ai, merda. Vou pagar com a vida.
Eu não acho nada lindo.
Acho tudo mentiroso, patife, caozada.

Eu acho que vocês precisam ter uma coisa chamada PRIORIDADES. E se a sua prioridade está sendo meio ambiente e corrupção, eu vim aqui pra te dizer algo,

mas antes,

veja no Jornal Nacional de ontem, um "indio parisiense" (oui, um francês branco VESTIDO DE ÍNDIO, dizendo coisas que um índio não diria, além de dar uma mãozada na cara dele, por estar vestido daquele jeito), e uma criança de fucking 3 anos, loira, com a mãe, orgulhosa e com a boca aberta cheia de dentes esperando a morte chegar, dizendo,

a criança:
"quero salvar o planeta".

Porra, meus amigos.
Uma criança branca mata aula e vira mito.
Criança negra não pode nem brincar no pátio no recreio que leva tiro.

Posso falar agora?
Tá pronta?

No mesmo dia dessa putaria de vocês, uma criança de OITO ANOS FOI BALEADA E MORTA NO COMPLEXO DO ALEMÃO.

Não foi a primeira essa semana.
Ágatha, no colo da mãe, na Zona Norte do Rio, foi atingida por um tiro de FUZIL, e morreu.

Me diga,
o que uma criança de oito anos fez para a sociedade brasileira? Porque ela teve que pagar o preço?

O Instituto de Segurança Pública disse que a polícia militar nunca matou tanto como está matando esse ano. Em agosto, a polícia matou 5 pessoas por dia, relatório da Humans Right Watch.

O governador, psicopata, disse aos policiais: "Não merece viver aquele que não tirar o fuzil do tiracolo".

Muitos de vocês, MUITOS, nunca moraram num morro, vocês não passaram nem uma única vez na vida, pela experiência de tiroteio.

Ocorre que a polícia não avisa nada a ninguém. Nem a morador, nem Whatsapp, nada, caralho nenhum. Você está comprando uma porra de um suco de morango ao leite e DO NADA uma porrada de pipôco começa, você não sabe onde, nem pra onde, você abaixa, deixa suco, dinheiro, todo mundo se olha, como se fôssemos RATOS assustados, e isso acontece HÁ DÉCADAS. A gente sabe que alguém vai morrer.

Acaba o tiro. Minutos depois, você ouve.

A voz de uma mulher, negra, gritando numa viela.

Mais uma mãe, mergulhada num inferno do qual nunca mais vai sair.

Esta, de ontem, que perdeu definitivamente a filha há 5 horas, está neste momento numa escuridão de alma absoluta.

A polícia que mais mata NO MUNDO, com o maior número de suicídios de policiais, porque perdem o sentido da vida, da profissão, o sentido. Se matam.

Sentado sobre essa montanha de corpos, Wilson Witzel. Mas já foi Pezão, Cabral, Garotinho, Rosinha, por essas e outras que tudo que lhes acontecer na vida eu não sinto um pingo de dó. No corpo deles, tem sangue de MILHARES de pessoas.

Não é que eu "deseje mal" a essas pessoas, pelo contrário, é a justiça, essas pessoas vão ter destinos terríveis. Mesmo que eu e você não vejamos, a morte dessas pessoas será dolorosa.

É assim que a vida é.
Bateu, levou.

Nenhum governador está acima da lei.
Não desta lei a que me refiro.

E você deve estar pensando porque eu precisei falar de Greta nesses termos pra jogar luz no que está acontecendo no Rio.

Escuta,
na vida, nós precisamos sonhar, mas precisamos colocar comida na geladeira.

Lembra do Emicida?

"Só água na geladeira eu eu querendo salvar o mundo."

Amigo, resolver o problema de agora, não te faz menor. E o problema de agora é o mesmo desde a fundação do Brasil: o extermínio do povo negro e pobre.

Enquanto isso não for resolvido, NADA que você faça, nenhuma luta que você lute, será eficaz.

Porque inclusive, tudo é culpa da escravidão.
O capitalismo existe e se desenvolveu por causa da escravidão. O capitalismo fudeu o meio ambiente e criou a produção industrial de alimentos de origem animal. Não adianta enxugar gelo.

É preciso resolver um problema crucial e único: enquanto não restaurarmos a justiça com o povo negro nas Américas, nunca seremos uma civilização.

Vai ter meio ambiente clima de montanha. Vai ter animal vivo. Mas os preto tudo morto.

Não existe prioridade maior que essa.

Vocês, pessoas brancas, UMA DE VOCÊS, criança, consegue PARAR O MUNDO.

Quando vai chegar o dia em que, sem ninguém mandar, vocês, pelo menos uma criança branca, vai falar pra vocês pararem de matar pessoas negras, e isso virar um movimento global? Porque a morte de pessoas negras é um problema que elas tem que resolver, se são vocês que elegem quem mata?

Vocês, brancos do mundo todo, são capazes de parar na imprensa, mesmo que você seja uma criança matando aula lá na casa do caralho. Se fosse uma criança preta, mesmo dentro da sala de aula, amontoada com outras 80 crianças, com medo de tomar tiro, seria chamada de vagabunda e filha de vagabunda, porque criança negra nunca vira pauta. Nunca. Vocês gostam do fetiche. Vocês apoiam causas porque sabem que vão ficar lindos no Jornal Nacional, não porque vão mudar algo.

Eu não admito mesmo. Acho uma surra de racismo esse pessoal branco da Greta e esse pessoal branco do veganismo dizendo que a morte dessa criança não é nada na frente da morte de frangos que alimentam a classe trabalhadora.

O Rio soltava pomba da paz na zona sul, e na Zona Norte, mais uma inocente morria. O mundo louvava uma criança branca na zona sul, e uma criança negra era devorada na Zona Norte. Vítima, não do clima, não do consumo de carne. Vítima da máquina de vocês, de matar negros.

Pode me linchar até a mão cair.

Essa hipocrisia e esse desespero de vocês por algum sentido na vida é um lixo. Vocês não percebem o poder que vocês tem? Como a imprensa prioriza vocês, brancos? O que estão fazendo com isso? Priorizando planta e bicho. Não aqueles cujos antepassados vocês escravizaram para hoje serem uma classe média "consciente". Brancos conscientes que lutam contra outros brancos, enquanto pretos continuam morrendo por vocês, exatamente como aconteceu em Farroupilhas e os Lanceiros.

Ah, mas dá pra lutar pelas duas coisas, pelas três coisas, pelas quatro coisas. Tá dando certo não, parceiro. Carrefour continua vendendo alcatra, e a polícia matando preto. Se decide. Para de ser juvenil na vida, escolhe uma porra e vai. E de preferência, a porra que é prioridade. E eu te disse qual é.

Mais uma vida humana inocente e negra morta hoje.
Nada mais importa.

Brasil 247


  Compartilhe por aí: Comente

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar quando


Ir para a home do site
© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É PROIBIDA A REPRODUÇAO PARCIAL OU TOTAL DESTE SITE SEM PRÉVIA AUTORIZAÇAO.
Desenvolvido por HotFix.com.br