“Os homens sábios usam as palavras para os seus próprios cálculos, e raciocinam com elas, mas elas são o dinheiro dos tolos”.

Thomas Hobbes (1588-1679), filósofo inglês, autor de Leviatã

ter
14
out
2014

Nascida em 14 de outubro de 1906, a filósofa política Hannah Arendt estaria completando hoje 108 anos. Grande influência do século XX, a alemã, de origem judaica, foi obrigada a fugir de seu país em 1933, por causa da crescente perseguição aos judeus. Mudou-se para Paris e por lá permaneceu  até 1941, quando foi para Nova Iorque, e ficou até o fim de sua vida.

Entre 1937 – quando o regime nazista retirou sua nacionalidade – e 1951 – quando conseguiu nacionalidade norte-americana –, Hannah tornou-se apátrida. A condição influenciou notadamente suas reflexões, como a ideia da importância do chamado “direito a ter direitos”, ou seja, da cidadania, na garantia dos direitos humanos.

Arendt viveu as grandes transformações do poder político do século 20. Estudou a formação dos regimes totalitários instalados nesse período – o nazismo e o comunismo – e defendeu os direitos individuais e a família, contra as "sociedades de massas" e os crimes contra a pessoa.

Durante seus 69 anos de vida, Hannah casou-se duas vezes, publicou importantes livros (como ‘As Origens do Totalistarismo’, ‘A Condição Humana’ e ‘O conceito do amor em Santo Agostinho: Ensaio de uma interpretação filosófica’), foi jornalista, ensaísta e professora universitária.

Para homenagear o aniversário da pensadora da liberdade, o Google criou um doodle com a imagem da escritora em meio a papeis e livros. A obra de Arendt traz importantes reflexões sobre os tempos atuais, permeados por guerras localizadas e nacionalismos.

EBC


  Compartilhe por aí: Comente

ter
14
out
2014

Na manhã desta terça-feira (14), a executiva estadual do Partido Republicano da Ordem  Social (Pros) na Paraíba anunciou apoio à candidatura do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), que concorre ao Governo do Estado pela Coligação “A Vontade do Povo”, neste segundo turno. O anúncio foi feito em forma de entrevista coletiva na sede da legenda, no Empresarial Epitácio Pessoa, na Capital paraibana. Do evento, participaram além de Cássio, o deputado federal Ruy Carneiro (vice) e o deputado federal eleito Pedro Cunha Lima.

De acordo com o presidente do Pros, cerca de 90% do partido está fechado com Cássio, a exemplo da professora Leila Fonseca, que pleiteou uma vaga no Senado Federal – e obteve 44.627 votos -, do candidato a vice-governador Olavo Filho, além dos candidatos a deputado estadual e federal pela legenda nas eleições deste ano.

– Além dos nossos candidatos a deputado estadual e federal e da nossa senadora Leila Fonseca, nós temos em torno de 60 executivas estaduais e 40 vereadores. Nós estamos unidos e agora vamos colocar em prática o nosso apoio ao senador Cássio Cunha Lima no segundo turno – disse Moisés.

Leila Fonseca, que logo em sua primeira eleição obteve 44.627 votos na corrida por uma vaga no Senado, garantiu empenho para eleger Cássio Cunha Lima. “Eu vou seguir a orientação do meu partido nesse segundo turno, então, é empenho total na candidatura de Cássio. Vamos dar a nossa contribuição para elegê-lo”, falou Leila.

O deputado federal Major Fábio, que foi candidato a governador pelo partido, também participou da coletiva e afirmou respeitar o posicionamento da legenda, mas, pelo menos por enquanto, decidiu ficar neutro no segundo turno.

Cássio

O senador Cássio Cunha Lima agradeceu a confiança depositada pelo Pros em sua candidatura. Segundo ele, o partido é um importante reforço na campanha do segundo turno.

– Programaticamente, temos muitos pontos em comum e vamos trabalhar juntos para realizar as mudanças que a Paraíba precisa, como a melhoria da saúde, educação, segurança, conclusão de obras inacabadas e término de obras que já deveriam estar prontas e ainda não ficaram. Tenho certeza que o presidente Moisés e todos os filiados do Pros estarão engajados e serão decisivos para a nossa vitória – disse Cássio.

Na coletiva de adesão do Pros, Cássio esteve acompanhado pelo candidato a vice Ruy Carneiro (PSDB) e pelo deputado federal eleito Pedro Cunha Lima. Outras lideranças a exemplo do prefeito de Cabedelo, Leto Viana, e do vereador de João Pessoa Djanilson da Fonseca (PPS), o “Faca Cega”, também estiveram presentes.

Assessoria


  Compartilhe por aí: Comente

ter
14
out
2014

O projeto de reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB) continua contabilizando adesões importantes neste segundo turno. Nesta segunda-feira (13), o candidato a prefeito de Sapé em 2012, Juscelino do Peixe (PRB), retirou apoio à candidatura do PSDB e se incorporou à campanha do socialista. Ele esteve reunido com Ricardo acompanhado do deputado estadual reeleito Anísio Maia (PT).

De acordo com Juscelino do Peixe, o apoio de Ricardo à reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT) neste segundo turno foi um fator fundamental para a sua decisão. “Acreditamos que a gestão de Ricardo está no caminho correto e, com o apoio da presidenta Dilma, vai melhorar ainda mais no segundo mandato”, destacou. “Vamos lutar junto ao Governo do Estado para o desenvolvimento de Sapé, garantindo novos investimentos em estradas e abastecimento de água”, completou.

Também acompanharam Juscelino do Peixe e Anísio Maia, o prefeito Pedro Correia (PMDB), de Caraúbas, os vereadores Basto (Aguiar), Emanuelly (Juazeirinho) e José Herculano (Emas), os ex-vereadores Damião Lacerda (Aguiar) e Pessoinha (Santa Rita), além de representantes das colônias de pescadores de Sapé, Patos, Aguiar, Ibiara, Emas, Acaú, Santa Rita e Baia da Traição.

Assessoria


  Compartilhe por aí: Comente

ter
14
out
2014

Brasil atinge 273 milhões de celulares
Linhas de celulares, no Brasil, ultrapassam 250 mil em agosto

O número de linhas de celulares ativas no país chegou a 277,41 milhões em agosto deste ano. De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), houve um acréscimo de 1,26 milhão de linhas no oitavo mês do ano.

As linhas pré-pagas são maioria (76,73%) e as pós-pagas representam 23,27% do total. A teledensidade de celulares, em agosto, chegou a 136,7 acessos para cada grupo de 100 habitantes. A maior densidade está no Distrito Federal, onde há 218,75 linhas para cada grupo de 100 pessoas.

Em agosto, a operadora Vivo liderava o mercado, com 28,85% de participação, seguida da TIM, com 27,05%; da Claro, com 25,1%; da Oi, com 18,56%; da Nextel, com 0,43%; da CTBC, com 0,41%; da Porto Seguro, com 0,04%; e da Sercomtel, com 0,02%.

Agência Brasil


  Compartilhe por aí: Comente

ter
14
out
2014

O desempenho eleitoral do presidenciável Aécio Neves (PSDB) em Campina Grande chamou atenção da imprensa nacional. De acordo com a reportagem do site da Revista Veja, a cidade pode ser considerada uma “ilha azul” no mapa eleitoral brasileiro, devido à “esmagadora” vitória do tucano no primeiro turno das eleições. A matéria atribui à força política do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), candidato mais bem votado para o Governo do Estado no primeiro turno, como fator determinante para a vitória de Aécio.

Candidato à Presidência da República pela Coligação “Muda Brasil”, Aécio Neves obteve 84.577 votos na Rainha da Borborema, o que representa 39,46% da preferência do eleitorado. Sua adversária no segundo turno, a presidente Dilma Rousseff (PT), ficou 32,10 % dos votos válidos.

“Esse é o resultado da presença do Aécio, que visitou Campina Grande nos festejos juninos e fez encontros com empresários e teve contato com a população. Nossa região valoriza demais a presença e possui uma massa crítica muito poderosa e consistente vinda das universidades – disse Cássio, a quem a matéria classificou como “principal cabo eleitoral de Aécio na Paraíba e mais popular político de Campina Grande na atualidade”.

A reportagem também lembrou que, puxado por Cássio Cunha Lima, que teve 965.367 votos para o Governo da Paraíba no primeiro turno, Aécio Neves obteve na Paraíba o seu melhor desempenho no Nordeste. O presidenciável recebeu 490.516 votos da população paraibana.

Ainda segundo a matéria da Veja, caso concretize sua vitória na Paraíba, Cássio “deve se catapultar como a principal liderança tucana no Nordeste, já que a Paraíba será o único Estado governado pelo partido na região”.

Trabalho dobrado no segundo turno

Engajado em sua campanha para chegar ao Governo da Paraíba, o senador Cássio Cunha Lima garantiu ainda mais empenho para aumentar a já expressiva votação de Aécio Neves no seu Estado. Segundo o candidato a governador pela Coligação “A Vontade do Povo”, o desempenho de Aécio deve ser ainda melhor no segundo turno.

– Aécio Neves vai ganhar a eleição e a Paraíba tem a grande chance de dar um salto de qualidade. Por isso, por onde tenho passado, peço o voto das pessoas para mim e para Aécio. Vou trabalhar para garantir não apenas a minha eleição, mas também a de Aécio. Vamos juntos à vitória! – contou o tucano.

Assessoria


  Compartilhe por aí: Comente

ter
14
out
2014

“O alvo principal a ser colimado pela esquerda deve ser o Congresso, onde precisa fazer maioria antes de eleger o presidente da república”

Sitônio PintoOtávio Sitônio

– O presidente Lula ficou em pânico – revelou o ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa. Não era para menos. Fazia três meses que o Congresso estava com a pauta fechada, não ia pra frente nem pra trás. O presidente estava refém do lobe das empreiteiras, que impunha a nomeação de Paulo Roberto para a Diretoria de Abastecimento. O país vivia um golpe civil.

Eu sabia que as empreiteiras tinham poder, mas nunca imaginei que fosse tanto. Elas bancam a eleição de parlamentares e gestores. Sua recompensa são as licitações pelo preço do dia ou da noite. Lula mesmo, após a primeira eleição que disputou e perdeu, disse que recebeu 600 mil dólares da Odebrecht – que deu seis milhões à campanha de Collor. Lula só lamentou que essa importância não desse para pagar as dívidas da campanha.

Taí a cobrança dessa doação, e de outras que podem ter se sucedido nas campanhas seguintes. A empreiteira negou que fossem verdadeiras as revelações de Paulinho das Negas. Outras empreiteiras negaram sua participação na crise da Petrobrás, mas Paulinho não voltou atrás na sua revelação.

Pena que o recurso da delação premiada não tenha sido usado noutros inquéritos e processos neste País de Macunaíma. Lembra-se do escândalo dos sete anões, das maracutaias das verbas do Congresso? Lembra-se do álibi que o principal acusado deu para as tuias de dinheiro movimentadas nas suas contas? Ele tirou sete vezes na loteria. Isso não existe em probabilística, mas o anão de sorte disse que foi Deus que lhe ajudou.

Deus ou o diabo, um dos dois ajudou o anão, pois só um poder transcendental teria tanta força. O anão lavou a burra e escapou de qualquer punição. Nem sequer devolveu o dinheiro, como Paulinho prometeu fazer. Ainda bem que Paulinho não buliu no dinheiro. E o rendimento da poupança nos paraísos fiscais? Vai devolver? A CPI dos anões, ou do colarinho branco, deu numa tremenda pizza – a mais cara que se viu do mundo. Nem na Itália a máfia fez uma daquelas, só no Brasil.

Se este ano não fosse de eleição o escândalo da Petrobrás não teria vindo à tona. O grande escândalo faz parte do arsenal empregado pela direita para derrotar o PT. Veja que o apelo da campanha de Aécio Neves não faz menção de vencer Dona Dilma, mas derrotar o PT. Collor disse coisa parecida quando se elegeu presidente na primeira vez: “Derrotamos o PT!” Mas o PT ressurgiu das cinzas e Collor foi cassado, para depois se aliar ao partido trabalhista. E pode ser eleito de novo, pois o Brasil está sem lideranças.

Eis um dos motivos que contribuíram para a debacle do Partido dos Trabalhadores: suas alianças com Deus e o diabo, algumas a custo de mensalões, para fazer maioria no Congresso. Era o jeito, a pauta trancada prova o que digo. Eu tinha previsto algo parecido na primeira eleição disputada por Lula. Escrevi que o alvo principal a ser colimado pela esquerda deve ser o Congresso, onde precisa fazer maioria antes de eleger o presidente da república.

Mas o PT preferiu ir em frente. Elegeu Lula duas vezes, Dilma uma, e ainda não deu um passo na direção das reformas que apregoava. Reformas que entraram no rol de exigências que Marina entregou a Aécio como condição para seu apoio neste returno. E se Aécio não cumprir? Não vai, pois ele não tem maioria nem vontade para tanto. Ele que cuide de se defender das pressões que vai receber no seu governo, se for eleito, como Lula recebeu no caso da Petrobrás. Lula ficou com a barba branca, ganhou câncer, Dilma também. Sua barba não está como antes.

*Jornalista, escritor, poeta, ensaísta, publicitário e membro do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano, da Academia Paraibana de Letras e da Academia de Letras e Artes do Nordeste.


  Compartilhe por aí: Comente

seg
13
out
2014

:

Pesquisa Vox Populi, divulgada nesta segunda (13) pela TV Record, mostra a presidente Dilma Rousseff (PT) com 45% dos votos totais contra 44% das intenções de voto do tucano Aécio Neves; os votos nulos e brancos são 5%; os indecisos são 5%; no quadro de votos válidos, Dilma tem 51% e Aécio tem 49%; por regiões, no Sul, o tucano tem 55% da preferência, contra 33% de Dilma; no Sudeste, Aécio tem 51%, contra 36% de Dilma; no Nordeste, Dilma tem 67% das intenções de voto, contra 26% do tucano; no Centro-Oeste e Norte, ambos têm 45%; resultado contrasta com pesquisa Istoé/Sensus, que apontou Aécio 17,6 pontos à frente de Dilma

247 – A pesquisa Vox Populi, divulgada nesta segunda-feira (13) pela TV Record, mostra a presidente Dilma Rousseff (PT) com 45% dos votos totais contra 44% das intenções de voto do tucano Aécio Neves. Os votos nulos e brancos são 5%. Os indecisos são 5%. No quadro de votos válidos, Dilma tem 51% e Aécio tem 49%.

A pesquisa ouviu 2 mil pessoas em 147 cidades no final de semana. A margem de erro é de 2 pontos. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-01079/2014.

A última pesquisa Vox Populi divulgada no primeiro turno, um dia antes da votação, mostrava Dilma com 46% contra 41% de Aécio. Em relação à sondagem anterior, a candidata do PT havia variado dois pontos para baixo e o tucano, três pontos para cima.

Votos por regiões

O levantamento do Vox Populi traz um recorte das intenções de voto pelas regiões do País. Aécio ganha no Sul e Sudeste, e Dilma vai melhor no Nordeste. No Centro-Oeste e Norte, os candidatos estão empatados.

No Sul, o tucano tem 55% da preferência, contra 33% de Dilma — brancos/nulos são 4% e eleitores indecisos, 7%. No Sudeste, Aécio tem 51%, contra 36% de Dilma — brancos/nulos somam 7%, e eleitores indecisos são 6%.

No Nordeste, Dilma tem 67% das intenções de voto, contra 26% do tucano. Os brancos e nulos na região são 4%, e os eleitores indecisos totalizam 3%. No Centro-Oeste e Norte, ambos os candidatos têm 45% das intenções de voto cada — brancos e nulos são 4%, e indecisos somam 6%.

Desempenho da presidente

O Vox Populi também quis saber a avaliação que os eleitores fazem da presidente Dilma Rousseff (PT). A avaliação positiva da petista chegou a 40% do total. Outros 37% consideram a presidente “regular” e, por fim, 22% fizeram avaliação negativa de Dilma e 1% não opinou.

Brasil 247


  Compartilhe por aí: Comente

seg
13
out
2014


O senador Cássio Cunha Lima (PSDB), candidato ao Governo do Estado pela Coligação “A Vontade do Povo”, disse nesta segunda-feira (13) que vai criar seguro de vida para os profissionais da segurança.Ele reafirmou que, caso seja eleito, como medida prioritária na política de recursos humanos para o setor, vai incorporar a gratificação sobre risco de vida para os policiais militares e civis, além dos bombeiros militares e agentes penitenciários.

De acordo com Cássio Cunha Lima, a medida é uma forma de o Estado dar a mínima garantia para o bom desempenho dos agentes de segurança no combate ao crime. Além de uma reivindicação legítima das categorias que representam o setor de segurança, o candidato a governador tucano observa não ser possível imaginar uma política de combate à violência sem dar a retaguarda básica para quem vai fazer cumprir a lei.

Outras propostas

Esta é apenas uma das ações que o tucano vai fazer para melhorar a qualidade de vida dos profissionais da área de segurança pública. Além disso, Cássio vai fazer a equiparação salarial entre os policiais da ativa e os reformados, que perdem até 40% de seus vencimentos ao se aposentarem.

Outro compromisso do tucano é com a realização de novos concursos para reduzir o déficit nos efetivos das Polícias Civil e Militar. Para Cássio, a criminalidade na Paraíba, que chegou a números alarmantes na atual gestão, só será reduzida com a ampliação nos quadros das polícias.

ParlamentoPB


  Compartilhe por aí: Comente