dom
16
ago
2020

Reinaldo Azevedo e Sérgio Moro

"Certamente a emissora não exibirá com exclusividade o vídeo em que o doleiro faz acusações à família. Não será considerado de interesse jornalístico", aponta o jornalista.

O jornalista Reinaldo Azevedo escreve em sua coluna que a delação do doleiro Dario Messer, feita no Rio de Janeiro, produziu um dano colateral: atingiu a maior aliada da própria Lava Jato, que é a Globo. Isso porque Messer afirmou que fazia entregas mensais de cerca de US$ 300 mil aos irmãos Marinho, donos da emissora.

"Para pensar: todas as delações são gravadas. Certamente a emissora não exibirá com exclusividade o vídeo em que o doleiro faz acusações à família. Não será considerado de interesse jornalístico. Em sua busca por protagonismo, a Lava Jato atinge a sua principal aliada", escreveu Reinaldo.

"De resto, uma lição começa a se desenhar: quem flerta com o Estado policial e com práticas policialescas em nome do bem maior — o combate à corrupção ou a pureza divina, tanto faz — acaba entrando na fila da guilhotina. Quando menos da guilhotina de reputações. Hora de rever os critérios do jornalismo, das delações e das homologações. No Estado policial, não existem inocentes. Só culpados de ocasião", apontou.

No sábado, Jair Bolsonaro ironizou a Globo e pediu reportagem no Fantástico sobre a delação de Messer.

Brasil 247


  Compartilhe por aí: Comente

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar quando


Ir para a home do site
© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É PROIBIDA A REPRODUÇAO PARCIAL OU TOTAL DESTE SITE SEM PRÉVIA AUTORIZAÇAO.
Desenvolvido por HotFix.com.br