qua
09
jun
2021

inflação

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,83 por cento em maio, após alta de 0,31 por cento no mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira. No acumulado de 12 meses até maio, o IPCA teve alta de 8,06%, contra alta de 6,76% do mês anterior, informa o G1.

"Foi o maior resultado para um mês de maio desde 1996 (1,22%). O acumulado no ano foi de 3,22%, e o dos últimos 12 meses, de 8,06%, acima dos 6,76% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores", informou o IBGE.

Com o resultado, a inflação permanece bem acima do teto da meta do governo para a inflação no ano – o centro da meta é de 3,75%, podendo variar entre 2,25% e 5,25%. O resultado está bem acima do esperado pelo mercado e pelos analistas. Pesquisa da Reuters apontou que a expectativa de analistas era de alta de 0,71% em maio, acumulando em 12 meses alta de 7,93%.

Pedro Kislanov, gerente de pesquisa do IBGE, explica a forte variação dos preços de energia, principal fator da alta. “A alta de 5,37% da energia elétrica se deve a dois fatores. O primeiro deles foi que em maio passou a vigorar a bandeira tarifária vermelha patamar 1, que trouxe uma diferença grande em relação à bandeira amarela, que estava em vigor de janeiro a abril. O outro fator é a série de reajustes que houve no final de abril em várias concessionárias de energia elétrica espalhadas pelo país”. A bandeira tarifária vermelha patamar 1 acrescenta R$ 4,169 na conta de energia a cada 100 quilowatts-hora consumidos.

Brasil 247


  Compartilhe por aí: Comente

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar quando


Ir para a home do site
© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É PROIBIDA A REPRODUÇAO PARCIAL OU TOTAL DESTE SITE SEM PRÉVIA AUTORIZAÇAO.
Desenvolvido por HotFix.com.br