ter
27
jul
2021

João Azevêdo_Hospital Metropolitano

O governador João Azevêdo esteve, nesta terça-feira (27), no Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita, ocasião em que entregou 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) endovascular e mais um serviço de hemodinâmica que representa um investimento de R$ 2,1 milhões de recursos próprios. As ações asseguram um melhor atendimento na alta complexidade, facilitando também diagnósticos e procedimentos nas áreas de cardiologia, neurologia e angiologia.

Na ocasião, o chefe do Executivo estadual destacou o compromisso da gestão de assegurar uma melhor prestação de serviço à população e manter a excelência do atendimento na saúde. “Nós não medimos esforços para oferecer um trabalho de qualidade e cumprir a missão de salvar vidas e entregamos um equipamento moderno para que o paciente do SUS possa ter um melhor atendimento que também será expandido para Campina Grande e Patos até o final do ano, associado ao sistema aeromédico para fazer com que o cidadão de qualquer município possa chegar ao hospital rapidamente, onde receberá um acompanhamento de alto padrão”, frisou.

O secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, explicou que o serviço de hemodinâmica assegura ao paciente o atendimento eficiente em tempo hábil. “Esse serviço contemplará uma faixa mais ampla da população paraibana, vítima de doenças cardiovasculares, AVC e infarto agudo do miocárdio que necessita do procedimento e as duas hemodinâmicas do Hospital Metropolitano darão agilidade e preencherão um vazio assistencial que há muitos anos existia no estado”, comentou.

O diretor geral do Hospital Metropolitano, Antônio Pedrosa, evidenciou o diferencial do equipamento que irá melhorar o trabalho do médico e assegurar uma maior eficiência na assistência à saúde da população.  “A máquina de hemodinâmica é a mais moderna do estado e isso representa um grande ganho para o povo paraibano. Além disso, os pacientes que farão o procedimento serão deslocados para os leitos de UTI endovascular que tem um protocolo de alta rotatividade”, disse, ao acrescentar que a unidade hospitalar já funciona com sua capacidade máxima nas linhas de cuidados específicos de cardiologia, neurologia e endovascular, além da ala Covid.

Moradora do município de Taperoá, Rosenilda Gouveia, mãe de Karen Gouveia, de 5 anos, que se submeteu a uma cirurgia cardíaca no Hospital Metropolitano, elogiou a qualidade do atendimento. “Para nós que somos assalariados, não teríamos condições de custear o tratamento e eu me sinto muito agradecida por ter um hospital com esse porte e com todos os serviços que ele oferece de primeiro mundo e totalmente gratuito. Isso é muito valioso para as famílias, pois sabemos que os nossos filhos são bem assistidos e têm um corpo técnico capacitado à disposição”, elogiou. 

O serviço de hemodinâmica é destinado à obtenção de imagens digitais em diagnósticos cardiológicos, neurológicos, vasculares periféricos e procedimentos intervencionistas em adultos e crianças e também em procedimentos terapêuticos como angioplastia, drenagens e embolizações.

Secom/PB


  Compartilhe por aí: Comente

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar quando


Ir para a home do site
© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É PROIBIDA A REPRODUÇAO PARCIAL OU TOTAL DESTE SITE SEM PRÉVIA AUTORIZAÇAO.
Desenvolvido por HotFix.com.br